Entender as regras do Firebase Realtime Database

As regras de segurança do Firebase Realtime Database determinam quem tem acesso de leitura e gravação ao banco de dados, como os dados são estruturados e quais índices são definidos. Essas regras residem nos servidores do Firebase e são sempre aplicadas automaticamente. As solicitações de leitura e gravação só serão concluídas se as regras permitirem. Por padrão, suas regras não concedem acesso ao banco de dados. A finalidade é proteger o banco de dados contra uso indevido até que você personalize as regras ou configure a autenticação.

A sintaxe das regras de segurança do Realtime Database é parecida com a do JavaScript e vêm em quatro tipos:

Tipos de regra
.read Descreve se e quando os dados podem ser lidos pelos usuários.
.write Descreve se e quando os dados podem ser gravados.
.validate Define a formatação correta do valor, o tipo de dados e se o valor tem atributos filhos.
.indexOn Especifica um filho como índice para que a ordenação e consulta sejam possíveis.

Visão geral da segurança do Realtime Database

O Firebase Realtime Database oferece um conjunto completo de ferramentas para gerenciar a segurança do seu app. Essas ferramentas facilitam a autenticação de usuários, a aplicação de permissões do usuário e a validação de entradas.

Os aplicativos desenvolvidos pelo Firebase executam mais códigos no lado do cliente do que muitas outras pilhas de tecnologia. Portanto, nossa abordagem de segurança pode ser diferente da sua.

Autenticação

A primeira etapa comum na segurança do app é a identificação dos usuários. Esse processo é conhecido como autenticação. É possível usar o Firebase Authentication para que os usuários façam login no seu aplicativo. O Firebase Authentication inclui suporte direto para métodos de autenticação comuns, como o Google e o Facebook, além de login por e-mail e senha, login anônimo e muito mais.

A identidade do usuário é um importante conceito de segurança. Diferentes usuários têm dados distintos e, às vezes, recursos incomuns. Por exemplo, em um aplicativo de bate-papo, cada mensagem é associada ao usuário que a criou. Os usuários também podem excluir as próprias mensagens, mas não as postadas por outras pessoas.

Autorização

A identificação do usuário é apenas uma parte do processo de segurança. Uma vez identificado, é preciso controlar o acesso dele ao banco de dados. Com as regras de segurança do Realtime Database, é possível controlar o acesso de cada usuário. Este conjunto de regras de segurança, por exemplo, permite que qualquer pessoa leia o caminho /foo/, mas não faça gravações nele:

{
  "rules": {
    "foo": {
      ".read": true,
      ".write": false
    }
  }
}

As regras .read e .write são aplicadas em cascata. Portanto, esse conjunto de regras concede acesso de leitura a qualquer dado no caminho /foo/, bem como em níveis inferiores, como /foo/bar/baz. Observe que as regras .read e .write são aplicadas em níveis superiores no banco de dados. Portanto, o acesso de leitura a /foo/bar/baz ainda será concedido neste exemplo, mesmo que uma regra no caminho /foo/bar/baz seja avaliada como falsa.

As regras de segurança do Realtime Database incluem variáveis integradas e funções que permitem referir-se a outros caminhos, carimbos de data/hora do lado do servidor e informações de autenticação, e muito mais. Confira um exemplo da regra que concede acesso de gravação para usuários autenticados em /users/<uid>/, em que <uid> é o ID do usuário obtido pelo Firebase Authentication.

{
  "rules": {
    "users": {
      "$uid": {
        ".write": "$uid === auth.uid"
      }
    }
  }
}

Validação de dados

O Firebase Realtime Database não usa esquemas, o que facilita fazer alterações durante o desenvolvimento. No entanto, quando o app estiver pronto para distribuição, será importante manter a consistência dos dados. A linguagem de regras inclui uma regra .validate, que permite aplicar a lógica de validação usando as mesmas expressões usadas pelas regras .read e .write. A única diferença é que, como as regras de validação não são aplicadas em cascata, todas as regras de validação relevantes são avaliadas como verdadeiras para que a gravação seja permitida.

De acordo com essas regras, os dados gravados em /foo/ precisam ser uma string com menos de 100 caracteres:

{
  "rules": {
    "foo": {
      ".validate": "newData.isString() && newData.val().length < 100"
    }
  }
}

As regras de validação têm acesso às mesmas funções e variáveis incorporadas que as regras .read e .write. Com elas, você cria regras de validação que reconhecem os dados de qualquer local no banco de dados, as identidades de usuário, o horário do servidor e muito mais.

Como definir índices de banco de dados

No Firebase Realtime Database, ordene e consulte dados. Para pequenos volumes de dados, é possível fazer consultas ad hoc no banco de dados. Por isso, os índices geralmente não são necessários durante o desenvolvimento. Antes de lançar o app, é importante especificar índices para todas as consultas existentes. Isso garante que elas continuem funcionando mesmo com o aumento do volume de dados do app.

Os índices são especificados usando a regra .indexOn. Confira um exemplo de declaração de índice que indexaria os campos de altura e comprimento de uma lista de dinossauros:

{
  "rules": {
    "dinosaurs": {
      ".indexOn": ["height", "length"]
    }
  }
}

Próximas etapas