Comece a usar o App Check com a Play Integrity no Android

Nesta página, mostramos como ativar o App Check em um app Android usando o provedor integrado da Play Integrity. Ao ativar o App Check, você ajuda a garantir que apenas seu app possa acessar os recursos do Firebase do seu projeto. Consulte a Visão geral desse recurso.

Atualmente, o provedor integrado da Play Integrity é compatível apenas com apps para Android distribuídos pelo Google Play. Para usar os recursos de fora do Google Play da Play Integrity ou usar o App Check com seu provedor personalizado, consulte Implementar um provedor personalizado do App Check.

1. Configurar seu projeto do Firebase

  1. Adicione o Firebase ao seu projeto Android, caso ainda não tenha feito isso.

  2. Ative a API Play Integrity:

    1. No Google Play Console, selecione seu app ou adicione-o se for necessário.

    2. Na seção Versão, clique em Integridade do app.

    3. Acesse a seção API Play Integrity da página, clique em Vincular projeto do Cloud e selecione seu projeto do Firebase na lista de projetos do Google Cloud. O projeto selecionado aqui precisa ser o mesmo do Firebase em que você registra o app (consulte a próxima etapa).

  3. Registre seus apps para usar o App Check com o provedor da Play Integrity na seção App Check do Console do Firebase. Você precisará fornecer a impressão digital SHA-256 do certificado de assinatura do app.

    Geralmente, é necessário registrar todos os apps do projeto porque, depois de ativar a aplicação de um produto do Firebase, somente apps registrados poderão acessar os recursos de back-end do produto.

  4. Opcional: nas configurações de registro do aplicativo, defina um time to live (TTL) personalizado para os tokens do App Check emitidos pelo provedor. É possível definir o TTL como qualquer valor entre 30 minutos e 7 dias. Ao mudar esse valor, esteja ciente das seguintes compensações:

    • Segurança: os TTLs mais curtos oferecem maior segurança, porque reduzem a janela em que um token vazado ou interceptado pode ser usado por um invasor.
    • Desempenho: TTLs mais curtos significam que seu app realizará atestados com mais frequência. Como o processo de atestado do app adiciona latência às solicitações de rede sempre que é executado, um TTL curto pode afetar o desempenho do app.
    • Cota e custo: TTLs mais curtos e novos atestados frequentes esgotam sua cota mais rapidamente e, para serviços pagos, podem custar mais. Consulte Cotas e limites.

    O TTL padrão de uma hora é razoável para a maioria dos apps. Observe que a biblioteca do App Check atualiza os tokens em aproximadamente metade da duração do TTL.

2. Adicionar a biblioteca do App Check ao seu app

No arquivo Gradle do módulo (nível do app) (geralmente <project>/<app-module>/build.gradle.kts ou <project>/<app-module>/build.gradle), adicione a dependência da biblioteca do App Check para Android Para gerenciar o controle de versões das bibliotecas, recomendamos usar a BoM do Firebase para Android.

dependencies {
    // Import the BoM for the Firebase platform
    implementation(platform("com.google.firebase:firebase-bom:32.7.2"))

    // Add the dependencies for the App Check libraries
    // When using the BoM, you don't specify versions in Firebase library dependencies
    implementation("com.google.firebase:firebase-appcheck-playintegrity")
}

Com a BoM do Firebase para Android, seu app sempre vai usar versões compatíveis das bibliotecas do Firebase para Android.

(Alternativa) Adicionar dependências das bibliotecas do Firebase sem usar a BoM

Se você preferir não usar a BoM do Firebase, especifique cada versão das bibliotecas do Firebase na linha de dependência correspondente.

Se você usa várias bibliotecas do Firebase no seu app, recomendamos utilizar a BoM para gerenciar as versões delas, porque isso ajuda a garantir a compatibilidade de todas as bibliotecas.

dependencies {
    // Add the dependencies for the App Check libraries
    // When NOT using the BoM, you must specify versions in Firebase library dependencies
    implementation("com.google.firebase:firebase-appcheck-playintegrity:17.1.2")
}
Está procurando um módulo de biblioteca específico do Kotlin? A partir de outubro de 2023 (BoM do Firebase 32.5.0), os desenvolvedores Kotlin e Java poderão depender do módulo da biblioteca principal. Para mais detalhes, consulte Perguntas frequentes sobre essa iniciativa).

3. Inicializar o App Check

Adicione o seguinte código de inicialização ao app para que ele seja executado antes de usar outros SDKs do Firebase:

Kotlin+KTX

Firebase.initialize(context = this)
Firebase.appCheck.installAppCheckProviderFactory(
    PlayIntegrityAppCheckProviderFactory.getInstance(),
)

Java

FirebaseApp.initializeApp(/*context=*/ this);
FirebaseAppCheck firebaseAppCheck = FirebaseAppCheck.getInstance();
firebaseAppCheck.installAppCheckProviderFactory(
        PlayIntegrityAppCheckProviderFactory.getInstance());

Próximas etapas

Depois que a biblioteca do App Check estiver instalada no seu app, comece a distribuir o app atualizado para os usuários.

O app cliente atualizado vai começar a enviar tokens do App Check em todas as solicitações feitas ao Firebase, mas os produtos dessa plataforma não exigirão que os tokens sejam válidos até que você ative a aplicação obrigatória na seção "App Check" do Console do Firebase.

Monitorar métricas e ativar a aplicação obrigatória

Antes de ativar a aplicação obrigatória, verifique se isso não vai afetar seus usuários legítimos. Por outro lado, se você perceber um uso suspeito dos recursos do seu app, convém ativar a aplicação obrigatória antes do previsto.

Para tomar essa decisão, analise as métricas do App Check nos serviços usados:

Ativar a aplicação obrigatória do App Check

Assim que você entender como o App Check vai afetar seus usuários, e se estiver tudo pronto para prosseguir com o processo, ative a aplicação obrigatória do App Check:

Usar o App Check em ambientes de depuração

Se, depois de registrar seu aplicativo no App Check, você quiser executá-lo em um ambiente que o App Check normalmente não classificaria como válido, como um emulador durante o desenvolvimento ou de uma integração contínua (CI), será possível criar um build de depuração do seu app que use o provedor de depuração do App Check em vez de um provedor de atestado real.

Consulte Usar o App Check com o provedor de depuração no Android.